SOBERANIA DA ASSEMBLEIA GERAL DE CREDORES

 

SOBERANIA DA ASSEMBLEIA GERAL DE CREDORES

 

Mayara Roth Isfer Osna[1]

Sheila Isfer R. Hidalgo[2]

 

 

                A possibilidade de intervenção do Poder Judiciário no resultado da assembleia geral de credores no âmbito da recuperação judicial é tema que vem sendo discutido nas searas doutrinária e jurisprudencial desde a entrada em vigor da Lei n.º 11.101/2005.

                  O caput, do artigo 58, da citada legislação prevê que cumpridas as exigências legais “o juiz concederá a recuperação judicial do devedor cujo plano não tenha sofrido objeção de credor nos termos do art. 55 desta Lei ou tenha sido aprovado pela assembléia-geral de credores na forma do art. 45 desta Lei”.

 

Para continuar lendo clique no arquivo PDF.

[1] A autora advoga na área de Direito Societário e Recuperacional no escritório Advocacia Felippe e Isfer, é mestre em Direito Comercial pela USP, graduada em Direito pela UFPR e graduanda no curso de Ciências Contábeis da Fipecafi.
[2] A autora advoga na área de Direito Societário e Recuperacional do escritório Advocacia Felippe e Isfer, é pós-graduada em Processo Civil e Contratos Empresariais pela Unicuritiba e graduada pelo mesmo Centro Universitário.

 

 

Relacionadas

Menu